_

Photobucket

Esse é o seu espaço para discutir e opinar sobre temas da paleontologia. Sinta-se livre para comentar.


sexta-feira, 4 de março de 2011

Divisão do tempo geológico

clique na imagem para ampliar e visualize a divisão do tempo geológico
© Blog do Rárisson

Olá pessoal,  nesse post vamos entender como se dá a divisão do tempo geológico. Por acaso você já se perguntou: Em que período nós vivemos? Bom para começar temos que saber quais éons existem, depois ver as eras que por sua vez se dividem em períodos, que se dividem em épocas e que por fim se dividem em idades. Mas não vamos tão longe assim, por que isso iria requerer mais que uma postagem. Para começar temos que saber que as divisões se dão pelas etapas do planeta, a exemplo: O desenvolvimento da vida no plaeozóico, sendo que já existia vida no Arqueano, ou mesmo o processo de formação terrestre, datado do Pré-cambriano.
 Climatius, um dos primeiros peixes, viveu no Paleozóico
© AVPH

O início das divisões se dá pelos Éons que são a maior divisão que existe para dividir o tempo. O éon que nos interessa é o Fanerozóico que é quando começa a se desenvolver a vida na terra; o conjunto pré-cambriano compreende o tempo de formação da Terra e se divide em três éons: o Hadeano, o Arqueano e o Proterozóico. Sendo que no Arqueano já existiam formas de vida simples no planeta, e se instabilizando a crosta terrestre temos o início do éon Fanerozóico que se divide nas seguintes eras: Paleozóico, Mesozóico, e Cenozóico. No Paleozóico, que vai de 540 milhões de anos atrás até 250 milhões de anos atrás, se desenvolvem as primeiras formas de vida mais complexas. Daí ao longo dos períodos essas formas de vida vão evoluindo até formarem um pequeno ecossistema que por sua vez era formado por pólipos, cnidários e pequenos artrópodes; os primeiros peixes surgiram já no Cambriano a partir de alguns cordados aparentados aos equinodermas. O paleozóico é a mais antiga era a possuir uma considerável diversidade da fauna, daí vem seu nome paleo que significa antigo e zóico que significa vida animal. Compreende os seguintes períodos: Cambriano, Ordoviciano, Siluriano, Devoniano, Carbonífero e Permiano, que marca a transição do paleozóico para o Mesozóico, também conhecida como a era dos dinossauros.
Staurikosaurus, do Triássico, viveu no Brasil
© Maurílio Oliveira

O Mesozóico é onde a vida prospera, já existe uma diversidade imensa de animais, tanto vertebrados como invertebrados.  Os peixes que já dominavam os oceanos evoluíram aos primeiros tetrápodes, que são os anfíbios, e daí saíram da água e evoluíram para os primeiros répteis; isso se deu ainda no Permiano do Paleozóico. O Crassigyrinus é um exemplo dos primeiros répteis que surgiram, pois ainda possuía um leme na cauda. Na era Mesozóica surgem os primeiros dinossauros, como o Eoraptor, o Herrerasaurus; e também o Staurikosaurus aqui no Brasil. No Jurássico temos uma diversidade maior da fauna no planeta e também um desenvolvimento dos primeiros pterossauros, sendo que já datavam do Triássico. No Cretáceo é onde se tem o maior número de espécies, tanto de dinossauros, como pterossauros. Surgem também as aves, e se desenvolvem os mamíferos, mas; isso tudo estaria por findar e só alguns sobreviveriam, pois viria a extinção em massa que até hoje se tem dúvidas sobre o que causou esse colapso nos seres vivos da época. Até o Jurássico tivemos a grande massa continental: a Pangéia, que se desfez completamente no Triássico em Laurásia e Gondwana.
No Cretáceo a Laurásia já não existia mais, pois, a América do Norte já se separava da massa Eurasiana, Gondwana também já estava desfeita, e, foi nesse tempo que se formou o oceano Atlântico 
© FOGT

Por fim temos o Cenozóico, que significa novas formas de vida e tiveram como seres dominantes os mamíferos e as aves. Nesse período houve várias "Eras Glaciais" intercaladas por alguns pequenos intervalos de calor, como consequência disso boa parte das espécies que viviam naquela época foram extintas, abrindo caminho para mais um trabalho da evolução, pois, foi nesse mesmo tempo que surgiram a maioria dos animais atualmente conhecidos. Como toda era, o Cenozóico é dividido em períodos, os quais são três atualmente em alguns estudos, sendo eles: Paleogeno, Neogeno e Quaternário. Alguns estudos não levam mais em conta o Quaternário devido aos sedimentos encontrados no mar serem os mesmos do Neogeno, mas, os estudos de sedimentos terrestres revelam o contrário então fica esse embate entre os pesquisadores dependendo da sua área de estudos. Levando em conta esse período - o Quaternário -, ele se destaca dos demais porque é atualmente a nossa "era" dominante, período o qual o homem governa e também destrói a Terra. Há 20 milhões de anos os mamíferos já dominavam toda a Terra. Ocorreu então o aparecimento dos primeiros hominídeos e o desenvolvimento dos tais. A nossa espécie, Homo sapiens sapiens, surgiu já no Holoceno, época atual em que vivemos que data de 11,5 mil anos até o presente. Porém, há relatos de que nós entramos em um novo período, o Antropoceno.

3 comentários:

  1. Só pra avisar, você cometeu alguns equivocos.
    1º-O Pré-Cambriano é um termo informal. Não é um Éon. Ele engloba 3 éon: Hadeano, Arqueano e Proterozóico.
    2º-A vida já existia no pré-cambriano, mais especificamente no éon Arqueano. Estromatólitos foram encontrados datando esse éon e são a evidência mais antiga de vida.
    3º-Zóico significa animal, e não idade. Então Paleozóico significa "animais antigos" ou "animais primitivos"
    4º-A conquista terrestre realizada pelos vertebrados acontece já na Era Paleozóica. Tanto que no Período Perniano já existiam anfíbios, répteis e inclusive ancestrais próximos dos mamíferos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelas observações Ricardo e peço desculpas pelos equívocos, eu realmente estava errado. O texto já está corrigido.

      Excluir
  2. Olá Rárisson.
    Viemos lhe comunicar por meio deste comentário que o banner já foi atualizado. Pedimos que o insira em seu Blog assim que puder. Seu Blog está de parabéns, continue assim e o Blog do Rárisson irá se transformar em um dos mais acessados. Obrigado pela parceria.

    ResponderExcluir