_

Photobucket

Esse é o seu espaço para discutir e opinar sobre temas da paleontologia. Sinta-se livre para comentar.


segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Psittacosaurus

© Raúl Martín

O Psitacossauro foi um ceratopsídeo que viveu a partir do início do Período Cretáceo na Ásia. Se destaca por ser o mais rico em espécies e gêneros de dinossauros. Cerca de onze espécies são reconhecidos a partir de fósseis encontrados em diferentes regiões da China, Mongólia e Rússia. Todas as espécies de Psitacossauro eram herbívoros e caracterizados por um bico poderoso; daí que vem seu nome que significa: lagarto com bico de papagaio, que, ao contrário da maioria dos ceratopsídeos, o bico não possuía pontas curvadas, mas ao invés disso foram arredondados e achatados.
© M. Kyoth Luteman

Mais de 400 fósseis de Psitacossauro foram encontrados até agora, incluindo muitos esqueletos completos. A maioria dos fósseis representam idades, desde filhotes até adultos, que tem permitido que vários estudos detalhados sejam feitos sobre a biologia reprodutiva e as taxas de crescimento da espécie. Diferentes espécies de Psitacossauro variavam de tamanho e características específicas do crânio e do esqueleto. A espécie mais conhecida é o Psittacosaurus mongoliensis; que podia chegar a 2 metros de comprimento. Várias espécies se aproximaram do Psittacosaurus mongoliensis em tamanho enquanto outros eram um pouco menores. Psittacosaurus ordosensis era a menor das espécies conhecidas.
 © Todd Marshall

O crânio do Psitacossauro foi bastante modificado em comparação com outros ornitísquios de sua época. Ele era extremamente alto e curto no comprimento, com um perfil quase redondo em algumas espécies. A porção frontal foi menos da metade do comprimento total do crânio, mais curto do que qualquer outro crânio conhecido em ornitísquios. Possuíam um bico, formado a partir de ossos e pré-dentários em forma de bico. O núcleo ósseo do bico pode ter sido revestido de queratina afim de proporcionar uma superfície de corte afiado para o corte de plantas.
 
© Craig Chesek

O Psitacossauro compartilhada várias adaptações com outros ceratopsídeos, como o único osso rostral na ponta da mandíbula superior. No entanto, ainda não havia sinal de proeminentes chifres faciais que se desenvolveram mais tarde em outros ceratopsídeos. Enquanto os membros posteriores eram fortes e bem adaptados, sua amplitude de movimento indica que as mãos não podiam ser utilizadas para gerar força propulsora, indicando que estes animais eram bípedes. Havia apenas quatro dígitos nas mãos, em oposição às cinco encontrado na maioria dos ornitísquios. O Psitacossauro não possuía um sistema digestório muito desenvolvido; por isso usava um técnica comum em alguns herbívoros. Ele engolia pedras nas refeições, essas pedras iriam ajudar a triturar o alimento e assim facilitava a digestão.
© Nobu Tamura

Até 2001, conheciam-se dinossauros emplumados apenas no ramo saurisquiano da árvore desses gigantes, o mesmo das aves. Naquele ano, um fóssil de outro ramo, o dos ornitisquianos, apareceu. Sem muitos dados sobre o Psitacossauro, os cientistas relutaram em crer que dinossauros tão distantes das aves exibissem estruturas similares a penas. Mas, em 2009, a descoberta de filamentos semelhantes em outro ornitisquiano, o Tianyulong, fez com que muitos mudassem de opinião.
© NGBrasil

Dados do dinossauro:

Nome científico: Psittacosaurus mongoliensis
Tamanho: Até 2 metros de comprimento
Peso: Cerca de 25 kg
Onde viveu: Ásia
Quando viveu: Início do Período Cretáceo
Dieta: Herbívoro

Fontes: Wikipédia en. - National Geographic Brasil

Nenhum comentário:

Postar um comentário