_

Photobucket

Esse é o seu espaço para discutir e opinar sobre temas da paleontologia. Sinta-se livre para comentar.


sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Português encontra primeiro dinossauro da Bulgária


 © Diario de Notícias-Lisboa

O paleontólogo Octávio Mateus, do Museu da Lourinhã, identificou os primeiros fósseis de um dinossauro descoberto na Bulgária, cujas características levaram o cientista a concluir que se trata de um dinossauro raro na Europa.

“É o primeiro dinossauro descoberto na Bulgária”, disse à Agência Lusa Octávio Mateus, que acrescentou que o animal não só é “raro na Europa” como também é o “primeiro registo seguro de um “ornitominossauro” do Cretácio Superior da Europa”. Um osso do braço com dez centímetros, que se pensava ser de um animal marinho e que foi trazido em 2005 para o Museu da Lourinhã por um estudante de mestrado búlgaro, foi suficiente para o português perceber que estava perante uma nova descoberta para a ciência.

“Este osso era oco, o que ocorre apenas em mamíferos, aves, pterossauros [dinossauros voadores] e dinossauros carnívoros”, justificou, acrescentando que “pelo tamanho só podia ser de um dinossauro carnívoro”.
O paleontólogo conseguiu ainda constatar que “o osso não é cilíndrico e tem uma saliência que só existe no osso do braço”, dois dos traços característicos dos dinossauros carnívoros do grupo dos “ornitominossauros”, conhecidos dos filmes do parque Jurássico, do realizador norte-americano Steven Spielberg.


 © Animais pré-históricos

Os “ornotominossauros”, dinossauros carnívoros terópodes, eram animais que se distinguiam dos restantes pela sua “cabeça pequena” e por serem “muito ágeis”, por isso são também apelidados por “dinossauros-avestruzes”. Octávio Mateus estudou também os sedimentos rochosos que envolviam o fóssil e concluiu que se trata de um dinossauros que viveu há 65 milhões de anos, no Cretácico Superior, sendo contemporâneo do conhecido carnívoro “tiranossauro rex”. Um artigo científico publicado em Novembro na revista da especialidade “Lethara” pelo português e por mais quatro paleontólogos estrangeiros (um inglês, um americano e dois zúlgaros) permitiu validar a descoberta junto da comunidade científica. O fóssil encontra-se no Museu de História Natural da Bulgária.

Fontes: Público

Nenhum comentário:

Postar um comentário